segunda-feira, dezembro 03, 2007

À mesa com os GreenShades

Agora que o geocaching já tem uns anos e já se começam a distinguir várias 'gerações' de geocachers evidenciando, cada uma, diferentes estilos, diferentes hábitos, diferentes velocidades resultado da evolução normal de uma actividade que começou por ser conhecida e praticada por um punhado de pessoas, espalhadas pelo País e sem interacção entre elas para um situação em que se começa a sentir, indubitavelmente um sentido de comunidade com tudo o que de bom e menos bom isso traz, um nome, uma equipa tem sido consistentemente referida nos últimos anos, quiçá desde que pararam, como os que incarnaram o estilo e o mais apreciado método de criar caches. Falo dos GreenShades. Quando comecei, eram eles os mais activos geocachers em Portugal, tanto a colocar caches como a visitá-las, logo seguidos pelo pregalla que, no entanto, parecia já estar a abrandar/parar. Na altura havia 19 caches ao todo no País. Mas não foi pelos números que os GreenShades se destacaram mas sim pela qualidade e características das suas caches, ainda hoje grandemente apreciadas e procuradas. Assim, desde hà muito que tinha a natural curiosidade e desejo de os conhecer pessoalmente, falar com eles - sabia que eram uma equipa constituída por 5 adultos e uma criança -, ouvir algumas das histórias que estavam por detrás desta ou daquela cache ou caçada, o porquê do nome... enfim, conhecê-los e confraternizar com aqueles que cada vez mais considero como o modelo a seguir. Esse momento concretizou-se na passada 5ª feira, 29/11/2007 num jantar marcado para o efeito, no Big Apple, em Lisboa! :-) A oportunidade surgiu por acção do Isaac, do team Os Corvos, que também fazem parte dos GreenShades e foi o resultado de alguns mails umas conversas havidas após o a apareceimento dos Corvos no GeoMeetup de Lisboa onde espantaram a comunidade pela revelação, pela simpatia e pelo (não podia deixar de referir) 'livrinho de geocaching dos corvos' que já é conhecido internacionalmente. ;-) Assim, finalmente tive o grato prazer de conhecer a equipa GreenShades toda junta e falar com eles. Falámos muito e falaram muito, num animado jantar que, a certa altura, começou a parecer-se com um meetup porque, por coincidência, apareceram os Rifkindsss que iam ali jantar e, claro, juntaram-se a nós. Como eu tinha insistido em levar a Mila e o Filipe, o topo Norte do restaurante estava todo por nossa conta. :-) Fiquei a conhecer histórias e episódios ocorridos na colocação de algumas das caches colocadas pelos GreenShades; tentativa de pregar partidas à equipa da RTP2, 'desilusão' por uma cache colocada o mais longe possível da estrada ter sido quase pisada por um TT, pormenores e particularidades da organização das caçadas dos GreenShades às caches dos outros... Enfim, não podia ter sido um jantar mais rico e gratificante em termos de convívio à volta do tema geocaching e com alguns dos praticantes mais apreciados! E no final ficou apalavrada uma caçada conjunta a uma cache que promete uma caminhada jeitosa, ali para a Serra de Aire, a 'Travessia do Javali". :-) Quanto ao nome da equipa, foi mais ou menos assim a revelação (preparem-se): Eu - "Então, como surgiu esse vosso nome tão significativo no geocaching?" Luís Lamela (encolhendo o ombros e falando pausadamente) - "Bem, não sei bem... talvez alguma palavra ou termo que ouvi naquele dia ou naquela semana..." Eu - "Mas o nome encaixa muito bem no tema do Geocaching... a Natureza..." LL - "Sim, é verdade mas foi apenas coincidência... Talvez por o Isaac ser verde..." Entretanto o Isaac levanta-se e diz - "Pois! Não calhava nada bem ser RedShades!" Ao que eu me levanto e vou dizendo - "Meus Senhores.... tive muito prazer... Boas Noites..." Gargalhada geral no topo Norte da sala de jantar do Big Apple. :-)

3 comentários:

Ricardo disse...

As caches dos Greenshades parecem muitas vezes um tesouro que nos foi deixado para descobrir por um ente desconhecido que entretanto desapareceu.

É bom saber que apenas uma parte disto é verdade, e que eles não desapareceram. Apenas fizeram como as caches deles. Estão escondidos, algures, e deve ser um prazer raro descobri-los e ter uma boa conversa sobre geocaching com eles!

Ricardo Silva / Lynx Pardinus

Miguel S. disse...

Vou aproveitar o contacto do Manuel Antunes para lhe pedir que transmita aos GreenShades a minha gratidão pela colocação de algumas das melhores caches que já procurei. Fico ainda com alguma curiosidade em saber aquilo que os afastou do Geocaching, pelo menos no que toca a colocação de caches: tantas boas caches que terão ficado por esconder...

MANTUNES disse...

Olá Miguel,

Já lhes dei a entender a grande estima e consideração que a comnidade tem por eles e pelo espólio que deixaram mas voltarei a referi-lo quando estiver com eles, esperançadamente, na caminhada que iremos fazer juntos. :-)

Sobre os motivos do afastamento, não o referi no texto inicial mas perguntei-lhes e eles disseram que, basicamente, os dois ultimos anos forma muito complicados em termos de trabalho e, assim, o tempo disponível para hobbies baixou drasticamente e hà outros hobbies que não combinam bem com o stress e a pressão de geocaching. Por exemplo; ás vezes é preciso estar no local e no momento exactos para ter a luz ideal para tirar a tal fotografia da natureza. Não hà divórcio com o geocaching, apenas muito menos tempo e outras prioridades (acho que foram estes os termos usados). :-)