terça-feira, maio 22, 2007

Quo vadis Geocaching?

Hoje estou desmoralizado... Bem sei que ando nisto hà muito tempo e que aprendi ou assimilei o Geocaching de uma maneira diferente, o que não significa, mais correcta. Era diferente. Pelo menos, a minha interpretação inicial foi diferente da que vejo agora. Pela segunda vez, que eu saiba, a visita a uma das minhas caches foi manipulada para permitir o alcançar de um benchmark noutra cache. Hà uns anos, a "The Nest of Paimogo" foi a centésima cache no terreno mas o respectivo log online foi atrasado até que pudesse ser feito noutra cache mais merecedora. Foi triste. Nada mais, apenas isso. Ontem, a "The (Imprisioned) Squirrel" foi obrigada a ser a 499ª cache para que a 500ª fosse feita numa cache recentemente surgida e, certamente, mais merecedora. Eu até compreendo que assim se faça, afinal também tentei fazer a minha centésima na "100 Coordenadas" mas fi-lo guardando-a para o momento certo e não andando a fazer outras à pressão para que o objectivo da contagem desse certo. Nem andei a escrever que iria fazer a '500ª' e depois voltava para fazer a '499ª' (quando na realidade ela era, no terreno, a 500ª). Nem, o que me magoou ainda mais quando já estava 'em baixo', andei a escrever que se "despachou a imprisoned squirrel...". Eu até tenho em boa conta os autores desta distracção e até devo um grande favor a um deles por me ter ajudado na manutenção de uma outra minha cache, a "Trilho do Barril" e reconheço nele uma grande simpatia e camaradagem mas fiquei triste e magoado com este episódio. Pode ser que me passe... Mas que o Geocaching está cada ver mais a ser um hobby virado para os números, isso é inquestionável. E começo a não me sentir indentificado com isto.

5 comentários:

Pedro disse...

Manuel,
Eu acho que não foi uma coisa simpática, mas não acho que tenha sido com má intenção. Eu, como sabes, nunca liguei muito aos números, excepto se for a quantidade de entrecosto nas geochurrascadas! Mas aceito (e gosto) que seja um jogo diferente para pessoas diferentes - desde que não estraguem o divertimento dos outros.
Um abraço amigo,
Pedro Pinheiro

MANTUNES disse...

Depois de consultar alguns colegas, resolvi mudar o nome à cache. Assim fica mais de acordo.

MANTUNES disse...

Assunto arrumado!

Recebi um mail de pedido de desculpa. Trocámos mais uns mails. O log que provocou a situação foi emendado e a cache voltou ao nome original. :-)

Diamantino disse...

Manel, sempre achei que levavas a coisa muito a peito, muito a sério.
A história do Paimogo não foi bem assim, mas pelos vistos não foi bem explicada e como em quase todos os casos, acabou por ferir susceptibilidades que não era suposto ferir.
Provavelmente já não irei a tempo nem sequer acho que valha a pena, porque me parece que o mal já esta feito. Mal entendidos só se não os puder evitar, mas nem sempre é possível.

No entanto algo me diz que foi esse o motivo que levou ao progressivo afastamento que se foi fazendo sentir entre nós. Tenho pena, porque do meu lado continuas a ser a mesma pessoa.

Fica bem e não te chateies.

MANTUNES disse...

Sim, andei uns tempos 'a bater mal'...
Mas já me tinha esquecido até aparecer este caso recente na 'Squirrel'...
Talvez tenhas razão; levo isto muito a sério.